Minha empresa precisa inovar, e agora?

Nessa era, em que novas empresas reinventam negócios usando tecnologia todos os dias, a disrupção virou termo comum no mundo dos negócios. A inovação se tornou essencial para a sobrevivência de empresas de todos os setores.

Nesse cenário, as empresas já estabelecidas, e muitas vezes com sua próprio área de ti, param no tempo e pouco a pouco vão perdendo mercado. Em paralelo a tecnologia não para, a cada dia são quebrados paradigmas e criados novos. Ferramentas que ontem eram novas e declaradas como “de ponta”, hoje já podem estar defasadas e perder lugar para outras.

Como acompanhar essa onda? Como grandes empresas podem inovar em seus produtos e processos?

Temos dois caminhos:

Criar uma equipe interna, servindo a empresa como um laboratório de inovação
Terceirizar com empresas especializadas em inovar no setor de tecnologia

Empresas que a tecnologia é o coração do seu negócio, tais como uber, spotfy, paypal, sem dúvidas devem optar por montar sua própria equipe e mante-la a todo custo. Esse tipo de negócio respira tecnologia e deve estar sempre muito próximo do desenvolvimento do produto. Por outro lado empresas onde o foco não é tecnologia, mas precisam muito dela para prover melhores produtos e experiência de uso, ficam no dilema entre as duas opções.

Em minha opinião, tirando raros casos, sempre recomendo a terceirização. Antes de fundar meu negócio atual, já passei por grandes empresas e vi de perto como é difícil implementar a cultura da inovação. Não foram poucas as vezes que vimos projetos, que duraram meses e custaram milhões, serem um total fracasso ou nem mesmo chegarem ao mercado.

Quais as dificuldades em montar uma equipe de inovação dentro de casa?
Screen Shot 2018-02-16 at 15.22.43

 

Lentidão e ineficiência: grandes empresas possuem um processo muito burocrático que geralmente trava as equipes de inovação. Projetos de alta inovação exigem liberdade e trabalham muito bem com incertezas, isso posto em um ambiente empresarial tradicional, com mil hierarquias e atualização diária de prazos, está feito o desastre. Somado a isso, a insatisfação dos profissionais de alta performance é inevitável, pois não conseguem executar seu trabalho com eficiência.

Recursos humanos: muitas vezes é optado em treinar os profissionais da equipe atual para iniciar projetos com tecnologias novas, isso desencadeia algumas complicações:

  • Perda de foco dos profissionais na execução do que eles realmente são bons e produtivos
  • Mesmo após um treinamento eles vão ter apenas a base, sem saber escolher as melhores ferramentas e boas práticas. Uma escolha inicial errada pode ser irreversível
  • Por não ter vivência na área, é possível que caiam nas armadilhas que todos os iniciantes caem quando entram em uma nova tecnologia ou segmento, enquanto equipes especializadas já saberiam o caminho feliz (ou o mais próximo dele)

Outra possibilidade seria buscar mão de obra especializada no mercado, que nesse caso exige um acompanhamento rígido para validar o trabalho. Visto que é algo novo para empresa, ninguém saberá de fato se o que foi escolhido como tecnologia / ferramenta é realmente bom e também se o que está sendo feito está com qualidade.

Custo: manter uma equipe tem um custo alto, ainda mais contando que ela tem que se atualizar constantemente. Um agravante é o alto turnover de profissionais, principalmente porque nesse segmento os melhores são altamente inquietos e movidos a mudança. Quando as coisas começam a entrar na rotina e cair na mesmice, há grandes chances de procurar novos ares.

Para evitar esse caos uma solução é terceirizar os projeto de inovação. Resumidamente vou expor algumas vantagens dessa abordagem:
Screen Shot 2018-02-16 at 15.31.26

Processo maduro e eficiente: terceirizando inovação você aproveita de um processo maduro e testado, evitando toda a experimentação que seria necessária dentro de casa. Todos os problemas comuns (common pitfalls) encontrados ao começar com uma nova tecnologia já foram resolvidos. Contanto ainda que o processo contempla automatizações e boas práticas que otimizam a eficiência.

Redução de custos: o seu custo se resume ao projeto, sem precisar manter a equipe após isso. É possível continuar com um contrato de manutenção com a empresa especializada, o que garante absorver todas as evoluções do mercado que ele necessariamente precisam acompanhar.

Liberdade de escolha: o projeto de inovação só é inovação durante a execução, após concluído ele se torna um sistema com tecnologias conhecidas e controladas que tem que ser mantido. A partir desse momento, se for do interesse da empresa, é seguramente possível internalizar a manutenção e utilizar o outsourcing apenas para novas demandas.

Otimização de orçamento: um problema pode ser resolvido de várias formas possíveis, que podem variar no seu nível de complexidade, usabilidade, robustez, etc. Contando com uma equipe especializada é possível escolher a estratégia ideal que se encaixe melhor com o orçamento e necessidades reais do projeto.

Time to market: montar um time interno para inovação leva tempo, o que pode fazer o projeto chegar tarde demais ao mercado. Com o outsourcing é possível atingir o objetivo no tempo certo. Conta ainda com a expertise para controlar melhor as entregas, colocando o produto no mercado o quanto antes, mesmo que ainda não finalizado por completo.

Certo! Legal, mas terceirizar meu projeto vai ser sempre uma experiência linda assim? NÃO! Existem muitos cuidados ao escolher a empresa que vai prestar esse serviço e estar protegido com um bom contrato de prestação de serviços. Em um próximo artigo vou detalhar alguns pontos importantes que devem ser verificados antes de fechar um projeto de outsourcing.