4 principais tendências de aplicativos para os próximos anos

 

Com os avanços da tecnologia móvel e a grande popularização dos smartphones, tablets e outros dispositivos, o mercado de aplicativos está em constante inovação. Isso faz com que surjam várias tendências de aplicativos, com recursos cada vez mais interessantes para as empresas e consumidores.

Essas tendências podem trazer diversos benefícios para os negócios, como a possibilidade de oferecer um melhor atendimento aos clientes com o uso de inteligência artificial e a ampliação dos canais de vendas. Por isso, é importante observar as novidades para inovar e sair na frente dos concorrentes.

Continue a leitura deste post e veja quais são as principais tendências de aplicativos da atualidade e para os próximos anos!

1. Vendas omnichannel

As compras por meio de dispositivos móveis vêm crescendo muito no país ultimamente. Portanto, é preciso adaptar o processo de vendas da empresa a essa realidade para se destacar diante da concorrência e aumentar o faturamento do negócio.

As vendas omnichannel são uma estratégia que busca integrar todos os canais de vendas da empresa, como o site da marca, os dispositivos móveis e as lojas físicas. Assim, esses canais ficam interligados entre si, o que permite que o cliente verifique a disponibilidade e informações dos produtos e inicie ou conclua o processo de compra em qualquer um deles.

Dessa forma, fica mais fácil atender melhor as demandas dos clientes e otimizar sua experiência de compra, já que não haverá mais barreiras entre as lojas físicas e as virtuais. Consequentemente, a empresa amplia suas oportunidades de vendas.

2. Internet das Coisas (IoT)

A internet das coisas (Internet of Things — IoT), é uma inovação tecnológica bastante promissora, que já desperta o interesse de muitas organizações. Ela consiste em conectar objetos do cotidiano — como aparelhos domésticos, veículos, lâmpadas etc. — à internet, o que permite enviar informações sobre eles a sistemas e aplicativos para serem processadas.

Para isso, esses objetos são equipados com sensores e outros dispositivos, que são usados para obter as informações e enviá-las aos aplicativos. Alguns exemplos de aplicações para essa tecnologia são:

  • facilitar o controle de estoque em lojas;
  • ajudar na coleta de dados para campanhas de marketing;
  • acompanhar o desgaste de componentes em máquinas;
  • monitorar veículos e a localização de produtos da empresa.

3. Aplicativos wearables

Os dispositivos wearables, conhecidos como “dispositivos vestíveis”, tratam-se de objetos inteligentes que podemos usar no dia a dia — como óculos, relógios ou roupas — e que são capazes de se comunicar com aplicativos.

Eles podem ser instalados no próprio wearable ou em dispositivos móveis e contam com várias funcionalidades, como a possibilidade de verificar e-mails enquanto se usa o dispositivo, monitorar batimentos cardíacos e o desempenho em atividades físicas ou usar o GPS.

4. Automatização da coleta de dados

A coleta de dados é algo muito importante para as empresas de todos os segmentos, pois a análise deles permite obter informações que ajudam a otimizar processos e tomar melhores decisões. Na maioria dos casos, é ideal que essa coleta ocorra de forma automatizada, com a ajuda de aplicativos que enviem as informações diretamente para a internet ou para o sistema da empresa.

Como exemplo de aplicação dessa tendência, podemos citar a rastreabilidade no agronegócio. Um aplicativo é capaz de aumentar o controle da cadeia produtiva do setor, já que é possível usar dispositivos móveis para registrar informações como a origem dos produtos, índices de qualidade, locais por onde eles passaram etc. Isso torna a coleta de dados em campo mais eficiente e facilita a organização dos dados e sua futura análise.

Como você pôde perceber, as tendências de aplicativos podem trazer diversas melhorias para as empresas. Por isso, é importante acompanhar as novidades de perto e manter o negócio sempre atualizado tecnologicamente.

Você já sabia sobre as tendências de aplicativos que apresentamos aqui? Conhece mais alguma que deixamos de citar? Conte para a gente!